28/08/2015

Espanha utilizará as linhas do AVE para transporte de mercadorias


Em portugal, depois do Governo de Santana Lopes que queria meia dúzia de percursos e Sócrates a ligação à Europa, ficamos no nada.

Coligação em video - das "77 Colinas"

Paulo Portas visita "obra" de Sócrates

Alqueva - obras lançadas por José Sócrates
«O que aqui está em causa é, aliás, quero chamar a atenção, investimento público do bom, no sentido [de] que é investimento público produtivo» (vídeo), disse Paulo Portas, ao visitar as 14 empreitadas de obras de infra-estruturas em curso no Alqueva. 

Governo de falcatruas e pantomineiros

Este governo do PSD e CDS, comandado por Passos Coelho, deixou de fora a vergonha que ainda deveria ter até ao resto dos últimos dias de mandato.

Querem fazer em meia dúzia de dias o que não fizeram em 4 anos - privatização do Metro do Porto - um escândalo nacional.

Ajuste directo para uma privatização de tal monta? Por onde anda a indignação dos portugueses?

27/08/2015

Cavaco Silva - opina sobre a Grécia

 

 

 

 

Não sabe mesmo estar calado.

Não sertoa melhor falar sobre uns carapaus alimados para o jantar?

SIC - debates das eleições

 

http://77colinas.blogspot.pt/2015/08/finalmente-pinto-balsemao-desbloqueou-o.html#links

Os sem vergonha - e são muitos, mesmo muitos

O ‘duettino’

(Baptista Bastos, in Correio da Manhã, 26/08/2015)

 

Baptista Bastos

A democracia está envolvida em papel pardo e não me parece que possa endireitar-se.

Passos Coelho afirma não ir aos debates na televisão, para as legislativas, se Paulo Portas não for convidado. Estamos em pleno reino do absurdo ou, pior, na insustentabilidade de uma birra que fere a legalidade do acto.

O ‘duettino’ mantém-se neste equilíbrio instável, porque assim o deseja o presidente do PSD, com a natural aquiescência do chefe do CDS. No caso de o capricho ter a aquiescência indesejada pela lógica e pela norma, a Direita obterá o parceiro de coligação como o segundo defensor das propostas conhecidas, e a Oposição terá outro adversário pela frente. Um escândalo e uma vergonha.

Passos é grande apreciador da conflitualidade inútil, e a quezília política costuma embrulhá-la em omissões e enganos, deixando atrás de si um rasto de pequenas indignidades. Não é só ele que fica amolgado na incredibilidade; a democracia está envolvida em papel pardo e não me parece que possa endireitar-se nos anos mais próximos. Esta nova arrochada, creio, apesar de tudo, que não pode passar na Comissão Nacional de Eleições. A admitir o ludíbrio, o PCP e os Verdes teriam de ser aceitos com a legitimidade de outra coligação, aliás mais antiga.

Há algo de psicanalítico nestas avançadas do inquietante ‘duettino’ que tem tripudiado sobre a democracia com a desfaçatez de quem goza de total impunidade. A crítica é esvaziada de sentido, ou está ausente dos jornais; os recalcitrantes são afastados; os comentadores de televisão não causam dano moral nem reflexão: são os relatores do óbvio, ao serviço do poder e do estipêndio. Nem no tempo do fascismo a subserviência atingiu tal grau de indignidade. E a Resistência tocava, transversal, a sociedade portuguesa.

Parece que o País está manietado com medo e com espanto. Os intelectuais recolheram-se à concha das suas vaidades e, ainda há pouco, um deles, antigo comunista, recebeu, sem pudor e sem integridade, trémulo de emoção, das mãos do dr. Cavaco um penduricalho que uma pessoa de bem recusaria com repulsa.

As coisas chegaram a tal nível que tudo parece admissível. A manobra enleada pelo ‘duettino’ desta aceitação quase total da pouca vergonha tornou-se banal. Mas ainda há quem não desista de combater esta teia reticular de infâmias. E aqui estão, para o que der e vier.

 

Amigos para as ocasiões e... para os negócios

Um pequeno mundo de promiscuidades

 

peça jornalística sobre a participação criminal contra a ex-diretora maria do carmo marques pinto, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, e ontem inserida no «Público», é elucidativa do tipo de pessoas nomeadas por santana lopes para aquela instituição.

Casada com casimir oriol, que criou uma empresa espanhola com um dos fotógrafos das campanhas eleitorais de durão barroso e do mesmo santana lopes, a referida diretora conseguiu que lhes fossem adjudicados trabalhos audiovisuais num valor superior a 150 mil euros.

Ora essa empresa, a Loft Works, embolsou o dinheiro e não apresentou os trabalhos com que se comprometera.

E para tudo ter um picante ainda mais interessante, acontece que maurício valente, o sócio do conjugue de maria do carmo, é um amigo do coração de laura ferreira, a ditosa esposa de passos coelho, talvez por ambos terem nascido na Guiné-Bissau.

É caso para dizer que, na promiscuidade de interesses alimentado pela direita nas várias instituições onde pode exercer os seus estratagemas, o mundo acaba sempre por ser muito pequeno, indo bater amiúde a portas bem conhecidas... 

 

26/08/2015

Vistos Gold


Troca dinheiro... por euros bons!

Sardinha ou a falta dela


Tão longe que vai este tempo de - Para a maioria e ainda bem, bem ou mal passada vai a posta que tirou o lugar à reles sardinha que ainda por cima tinha que ser distribuída por três e com a agravante de ter de escolher quem comia a cabeça ou tinha de se contentar com o rabo!

Hoje, não há sardinha, proibido pescar sardinha, poucos barcos para pescar sardinha... foram queimados, colocados em terra a troca de uns míseros vinténs que se foram rapidamente.
Em Espanha, há barcos e há sardinha!

25/08/2015

IRS - ladrão quer devolver o que roubou

Hstoria de Portugal vista em Espanha

ABC
Grabado de la batalla de Alcântara, 1580.

HISTORIA MILITAR / 435º ANIVERSARIO DE ALCÁNTARA

Te contamos en «directo» la batalla en la que los Tercios españoles aplastaron y conquistaron a Portugal

Actualizar (252)
Día 25/08/2015 - 09.36h

Lisboa em imagens no jornal espanhol ABC

Bolsa - a vingança do chinês!







Reformados - para ler e perceber o que eles querem fazer




A segunda-feira negra nas bolsas mundiais, suscitada pela queda generalizada dos títulos cotados em Xangai, já está a ser considerado um acontecimento tão inquietante quanto o da falência da Lehman Brothers em setembro de 2008.
A acontecer uma crise financeira fundamentada nesse epicentro, será que passos coelho irá invoca-la para desculpar os indicadores negativos divulgados pelo INE durante o próximo mês? Ou será que a ignora como o fez quando José Sócrates teve fundamentadas razões para utilizar essa argumentação, quando se estava a discutir a governação entre 2009 e 2011?
Nem é preciso conjeturar: paladino do faz como te digo, não faças como eu faço, passos coelho recorrerá a todas as desculpas, e mais algumas, para justificar o fracasso dos seus quatro anos á frente do governo.
Mas, façamos ainda mais um exercício académico: o que aconteceria às reformas plafonadas de quem se visse obrigado a colocar o complemento do seu valor em fundos de pensões privados, que os investiria muito naturalmente nas volúveis cotações bolsistas?
O mais certo seria que muitos pensionistas se vissem condenados à miséria, espoliados dos valores ingloriamente apostados em quem da Segurança Social só tem a perspetiva de um negócio chorudo a abocanhar...

Marques Mendes tem razão, mas...

PCP goza com os portugueses

Depois do PCP aliado ao BE, ao PSD e ao CDS ter colocado Passos Coelho e Paulo Portas no Governo, não ter vergonha de produzir uma afirmação destas pela boca do seu Secretário Geral?

«O secretário-geral do PCP afirmou hoje que o voto na Coligação Democrática Unitária (CDU), que inclui "Os Verdes", serve "para impedir as maiorias absolutas que alguns querem para prosseguir e aprofundar a política de exploração, empobrecimento e declínio nacionais".» [Notícias ao Minuto]

Maria Filomena Mónica mentiu





Sendo do domínio público que há quem esteja viciado em substituir refeições saudáveis por croissantsacompanhados a vodka, não é aceitável que a direcção do Expresso se aproveite dessas situações de aparente fragilidade e as utilize para procurar atingir terceiros. O que Maria Filomena Mónica escreve sobre José Sócrates na última edição do semanário é deprimente para a própria. E é-o para o Expresso, que publica a catarse. 

A peça em causa é uma nojeira, mas é sobretudo de uma indigência confrangedora. A colaboradora doExpresso gaba-se de ter levado a cabo uma investigação aprofundada sobre o percurso académico de Sócrates em Paris, envolvendo recursos sofisticados — «motor de pesquisas relativo a teses em curso ou defendidas em França (ABES, theses.fr.)» —, estando em condições de garantir a «um povo analfabeto, aldrabão e parolo» que não há quaisquer vestígios de obtenção de graus académicos.

E para desmontar o alegado embuste do mestrado, Mónica mergulhou de cabeça no mémoire (muito embora umas linhas acima confesse que o procurou afanosamente nas livrarias e não encontrou): «a tortura em países democráticos pode ser analisada num trabalho académico: o que não pode é sê-lo desta forma». A emérita socióloga condescende que a utilização da tortura «é moralmente condenável, mas isso não justifica a inclusão das democracias como países que causam "arrepios".» 

Saciada, Mena, como é conhecida no meio, fez chegar ao Expresso a alucinada catarse. A direcção do semanário, apesar de ver a baba a escorrer pela prosa, publicou-a. Deveria, ao menos, ter alertado a sua colaboradora de que tinha andado a farejar o mestrado na página dos doutoramentos, para a realização do qual José Sócrates, de resto, já fora admitido depois de concluir o mestrado (como é bem explicado aqui). A orientadora poderá confirmar tudo. In " Camara Corporativa"

24/08/2015

Indignação

Não é fácil entender o que se passa hoje, nesta luta política pelo poder, pela victória nas próximas eleições.
Não sendo fácil entender, é de fácil compreensão o que se está a passar.  
Muitos jornais, as rádios e as televisões querem fazer-nos engolir a todo o custo, como um medicamento para uma cura rápida e eficiente, as grandes virtudes destes 4 anos de desastrosa e obstinada governação do actual Governo.
Das mentiras com as promessas feitas para ganhar as anteriores eleições, às mentiras actuais, passados estes anos, querem muitos deles, fazer acreditar que agora é que vai ser - não há mais mentiras e a coligação que nos governou e mal, vai passar a governar bem.
Não desmentiram ainda aqueles 600 milhões de euros que estando escondidos para serem surripiados aos portugueses, em especial aos reformados, foram enviados para Bruxelas no rascunho do orçamento para o ano de 2016.
Quem se treinou a fazer mal, dificilmente no futuro fará bem.

VAI À MERDA, JOÃO! VAI À MERDA! - POR CARLOS PAZ, PROFESSOR UNIVERSITÁRIO NO ISEG.

VAI À MERDA, JOÃO, VAI À MERDA!

POR CARLOS PAZ, PROFESSOR UNIVERSITÁRIO NO ISEG

Carta Aberta a um MENTECAPTO (João César das Neves)

Meu Caro João,

Ouvi-te brevemente nos noticiários da TSF no fim-de-semana e não acreditei no que estava a ouvir.

Confesso que pensei que fossem "excertos", fora de contexto, de alguém a tentar destruir o (pouco) prestígio de Economista (que ainda te resta).

Mas depois tive a enorme surpresa: fui ler, no Diário de Notícias a tua entrevista (ou deverei dizer: o arrazoado de DISPARATES que resolveste vomitar para os microfones de quem teve a suprema paciência de te ouvir). E, afinal, disseste mesmo aquilo que disseste, CONVICTO e em contexto.
Tu não fazes a menor ideia do que é a vida fora da redoma protegida em que vives:
Não sabes o que é ser pobre;
Não sabes o que é ter fome;
Não sabes o que é ter a certeza de não ter um futuro.
Pior que isso, João, não sabes, NEM QUERES SABER!
Limitas-te a vomitar ódio sobre TODOS aqueles que não pertencem ao teu meio. Sobes aquele teu tom de voz nasalado (aqui para nós que ninguém nos ouve: um bocado amaricado) para despejares a tua IGNORÂNCIA arvorada em ciência.
Que de Economia NADA sabes, isso já tinha sido provado ao longo dos MUITOS anos em que foste assessor do teu amigo Aníbal e o ajudaste a tomar as BRILHANTES decisões de DESTRUÍR o Aparelho Produtivo Nacional (Indústria, Agricultura e Pescas).
És tu (com ele) um dos PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS de sermos um País SEM FUTURO.
De Economia NADA sabes e, pelos vistos, da VIDA REAL, sabes ainda MENOS!
João, disseste coisas absolutamente INCRÍVEIS, como por exemplo: "A MAIOR PARTE dos Pensionistas estão a fingir que são Pobres!"
Estarás tu bom da cabeça, João?
Mais de 85% das Pensões pagas em Portugal são INFERIORES a 500 Euros por mês (bem sei que algumas delas são cumulativas – pessoas que recebem mais que uma "pensão" - , mas também sei que, mesmo assim, 65% dos Pensionistas recebe MENOS de 500 Euros por mês).
Pior, João, TU TAMBÉM sabes. E, mesmo assim, tens a LATA de dizer que a MAIORIA está a FINGIR que é Pobre?
Estarás tu bom da cabeça, João?
João, disseste mais coisas absolutamente INCRÍVEIS, como por exemplo: "Subir o salário mínimo é ESTRAGAR a vida aos Pobres!"
Estarás tu bom da cabeça, João?
Na tua opinião, "obrigar os empregadores a pagar um salário maior" (as palavras são exactamente as tuas) estraga a vida aos desempregados não qualificados. O teu raciocínio: se o empregador tiver de pagar 500 euros por mês em vez de 485, prefere contratar um Licenciado (quiçá um Mestre ou um Doutor) do que um iletrado. Isto é um ABSURDO tão grande que nem é possível comentar!
Estarás tu bom da cabeça, João?
João, disseste outras coisas absolutamente INCRÍVEIS, como por exemplo: "Ainda não se pediram sacrifícios aos Portugueses!"
Estarás tu bom da cabeça, João?
Ainda não se pediram sacrifícios?!?
Em que País vives tu, João?
Um milhão de desempregados;
Mais de 10 mil a partirem TODOS os meses para o Estrangeiro;
Empresas a falirem TODOS os dias;
Casas entregues aos Bancos TODOS os dias;
Famílias a racionarem a comida, os cuidados de saúde, as despesas escolares e, mesmo assim, a ACUMULAREM dívidas a TODA a espécie de Fornecedores.
Em que País vives tu, João?
Estarás tu bom da cabeça, João?
Mas, João, a meio da famosa entrevista, deixaste cair a máscara:
"Vamos ter de REDUZIR Salários!"
Pronto!
Assim dá para perceber. Foi só para isso que lá foste despejar os DISPARATES todos que despejaste.
Tinhas de TRANSMITIR O RECADO daqueles que TE PAGAM: "há que reduzir os salários!".
Afinal estás bom da cabeça, João.
Disseste TUDO aquilo perfeitamente pensado.
Cumpriste aquilo para que te pagam os teus amigos da Opus Dei (a que pertences), dos Bancos (que assessoras), das Grandes Corporações (que te pagam Consultorias).
Foste lá para transmitir o recado: "há que reduzir salários!".
Assim já se percebe a figura de mentecapto a que te prestaste.
E, assim, já mereces uma resposta:
Vai à MERDA, João!
Um Abraço,

Carlos Paz
Quando morremos, deixamos atrás de nós tudo o que possuímos e levamos tudo o que somos.